Se nos cega o sol ardente, quando visto em seu fulgor;

Quem contemplará Aquele, que do sol é Criador?

Patriarcas nem profetas, O chegaram a avistar;

Nem Adão chegou a ve-lo, antes mesmo de pecar.


Luz pra qual o sol é trevas, quem Te pode contemplar?

Nossos olhos nus, humanos, não Te podem encarar;

Fogo em cima da arca santa, sarça ardente no Sinai,

São figuras só, da glória, do Senhor do Eterno Pai.


Para ter-mos nós com Ele, franca e doce comunhão;

Cristo, o Filho fez-se carne, fez-se nossa redenção;

Para que na glória eterna, nós miremo-Lo sem véu;

Cristo padeceu a morte, nova entrada abrindo ao céu.


Antonio José S.Neves (1827-1874)
Robert Lowry (1826-1899)
Arranjo adap.e gravação mp3: AFDahmen